back index CÂMARA MUNICIPAL
CURITIBA

Curitiba, 22 de janeiro de 2018
 
Sim Não
controle de spam, digite o código no campo acima
Email Versão para impressão

Data: 21/08/2017 - 14:48:06

Projetos sobre cultura cervejeira
aprovados em plenário

  • Goura defendeu a aprovação do projeto que dispõe sobre o reconhecimento de Curitiba como a Capital da Cerveja Artesanal e institui a última semana do mês de maio, como a Semana da Cerveja Artesanal em Curitiba. (Foto: Chico Camargo/CMC)
  • O projeto que inclui no Calendário Oficial de Eventos do Município de Curitiba, o Festival Paranaense de Cervejas Artesanais/Festival PROCERVA foi defendido por Bruno Pessuti. (Foto: Chico Camargo/CMC)
  • Para Toninho da Farmácia, “muitas empresas do ramo estão falindo por falta de incentivo. Eles só querem mais condições de trabalho”. (Foto: Chico Camargo/CMC)
  • Helio Wirbiski lembrou de seu projeto que pretende a diminuição do número de vagas de estacionamento em bares. (Foto: Chico Camargo/CMC)
  • Para Julieta Reis, “o fato de existirem vários tipos de cerveja diferentes não significa que se deva beber até cair”. (Foto: Chico Camargo/CMC)
  • Noemia Rocha questionou os projetos e indagou sobre os efeitos que podem ter sobre crianças e adolescentes. (Foto: Chico Camargo/CMC)
  • Dr. Wolmir (PSC) foi à tribuna para defender seu projeto que declara de utilidade pública o Centro Poliesportivo Atletas do Brasil (CPAB). (Foto: Chico Camargo/CMC)
Na manhã desta segunda-feira (21), o plenário da Câmara Municipal aprovou dois projetos ligados à cultura cervejeira em Curitiba. Um deles, de autoria da bancada do PDT na Casa, reconhece a cidade como a Capital da Cerveja Artesanal e institui a última semana de maio como a Semana da Cerveja Artesanal em Curitiba (005.00124.2017 com substitutivo geral 031.00053.2017). Os autores da matéria são Goura, Marcos Vieira, Tito Zeglin, Toninho da Farmácia e Zezinho Sabará. A proposição foi acatada em primeiro turno com 20 votos positivos e um contrário, da vereadora Noemia Rocha (PMDB).

Goura subiu à tribuna para defender o reconhecimento de Curitiba como a Capital da Cerveja Artesanal. Para ele, a medida está em convergência com a cultura gastronômica da cidade, que no momento ostenta mais de 30 cervejarias [e mais de 35 na Região Metropolitana]. “Curitiba é uma referência nessa prática que cada vez aumenta mais”. Ele destacou que a venda de bebidas alcoólicas é proibida para menores e o próprio preço das cervejas artesanais é proibitivo. “O consumo exacerbado de álcool tem seus malefícios, mas trata-se de uma prática que integra a cultura local”, disse ele, que complementou: “compete ao Executivo promover campanhas educativas e blitz no trânsito para coibir os exageros”.

Para Toninho da Farmácia (PDT), o projeto não cria nenhuma apologia ao consumo de álcool. “Estamos olhando para as empresas. Muitas empresas do ramo estão falindo por falta de incentivo. Eles só querem mais condições de trabalho e fomentar a economia dentro do município”, salientou o vereador. Colpani (PSB) parabenizou os autores da proposta e lembrou que na região metropolitana de Curitiba já se contam 35 micro cervejarias. Professor Euler destacou que na cidade de Munique, na Alemanha, são 700 cervejarias. “Um projeto como esse pode fomentar esse mercado em nossa cidade”, completou. Professor Silberto (PMDB), Noemia Rocha e Zezinho Sabará também participaram do debate.

Festival
O segundo projeto aprovado é do vereador Bruno Pessuti (PSD) e inclui no calendário oficial o Festival Paranaense de Cervejas Artesanais (005.00134.2017), promovido pela Associação das Microcervejarias do Paraná (Procerva). A matéria foi acatada em primeira votação com 22 votos favoráveis e um contrário, novamente de Noemia Rocha. A proposição recebeu uma emenda, alterando o mês de realização do festival de junho para agosto (034.00049.2017).

Autor da proposta, Bruno Pessuti salientou a realização do evento na semana passada com a oferta de mais de 200 rótulos diferentes. “Contrariando o que normalmente se pensa, não houve nenhum atrito durante o evento. O lema dos cervejeiros artesanais é 'Beba Menos, mas Beba Melhor'”, destacou o parlamentar. Ainda para Pessuti, “falar em cultura cervejeira é falar de uma cultura milenar que hoje se foca no consumo sustentável”. “Curitiba é lembrada por seus atributos ecológicos, entre outros, mas pode também ser lembrada como a cidade da cerveja artesanal”, concluiu.

O vereador Helio Wirbiski (PPS) parabenizou a iniciativa, mas ressalvou a situação do consumo feito em bares. O parlamentar é autor de um projeto para diminuir ou até extinguir o número de vagas de estacionamento em bares e casas noturnas (005.00228.2017). “Que pelo menos esses consumidores não dirijam depois, que usem os táxi ou os aplicativos disponíveis”. Para Pier Petruzziello (PTB), “o sistema precisa ser desburocratizado, o estado precisa contribuir principalmente nesse momento em que o país está em crise. Tudo que envolver liberdade democrática terá o meu apoio, como foi o caso do projeto para o consumo de cerveja em estádios, não aprovado em 2016”.

“O fato de existirem vários tipos de cervejas diferentes não significa que se deva beber até cair”, entende Julieta Reis (DEM). Para a vereadora, “é necessário bom senso”. “Estão sendo produzidas cervejas com frutas e outras misturas exóticas que podem fazer de Curitiba uma cidade original nessa questão da gastronomia artesanal”, disse a vereadora. “Já está na hora da Secretaria de Turismo fazer a Rota da Cerveja Artesanal”, sugeriu Julieta Reis. Bruno respondeu que esse itinerário já existe. Trata-se do “Curitibera”, com 33 cervejas artesanais.

Noemia Rocha se posicionou contrária aos dois projetos. Ele questionou se os autores tinham algum estudo sobre o impacto que as medidas trariam às crianças e adolescentes, se havia alguma perspectiva quanto ao fomento financeiro proporcionado pelas medidas e quanto à responsabilidade social das empresas envolvidas. “Impacto financeiro não pode se sobrepor a impacto de saúde”, afirmou Noemia. Também se manifestaram Colpani (PSB) e Maria Manfron (PP).

Utilidade
Dr. Wolmir Aguiar (PSC) foi à tribuna para defender seu projeto, acatado por unanimidade com 27 votos, que declara de utilidade pública o Centro Poliesportivo Atletas do Brasil (CPAB) – 014.00019.2017. De acordo com o vereador, a entidade “além de prestar assistência social na área de saúde ao ex-atleta, promove ação na área de educação e assistência psicológica realizando um verdadeiro serviço de reinclusão dos ex-atletas”. De acordo com ele, há ainda o trabalho com crianças, como o que foi realizado, por exemplo, com 100 crianças e dirigido pelo ex-goleiro Jairo, do Coritiba Futebol Clube. Além disso, a entidade possui vínculos com a Federação das Associações de Atletas Profissionais (FAAP) e com a Associação de Garantia ao Atleta Profissional do Paraná (AGAP).


Texto:   João Cândido Martins
Edição:   Claudia Krüger
 
Reprodução do texto autorizada mediante citação da Câmara Municipal de Curitiba.


Arquivos para download:
Voltar
 

Este legislativo municipal oferece através de seu site uma visão geral dos trabalhos realizados em prol da cidade de Curitiba. Acompanhe nesta ferramenta o trabalho dos vereadores, a execução do orçamento, e tenha acesso a diversas informações institucionais e de funcionamento. Nosso objetivo maior é o de dar transparência aos trabalhos aqui realizados. Lembramos que este site está em constante atualização e melhoria. Sua visita frequente é muito importante.

© 1997 - 2018 - Câmara Municipal de Curitiba - todos os direitos reservados

Câmara Municipal de Curitiba - Rua Barão do Rio Branco, 720 - Curitiba - Paraná - Brasil - CEP: 80010-902
Fone: (41) 3350-4500 - Fax: (41) 3350-4737 - Email geral:
camara@cmc.pr.gov.br

Esse site pode ser melhor visualizado nos seguintes navegadores: Firefox 29, IE 11, Chrome 35 ou versões superiores.