back index CÂMARA MUNICIPAL
CURITIBA

Curitiba, 24 de setembro de 2017
 
Sim Não
controle de spam, digite o código no campo acima
Email Versão para impressão

Data: 22/05/2017 - 15:09:06

Plano de Recuperação gera debate
sobre propaganda e tramitação

  • Noemia Rocha questionou campanha publicitária do Plano de Recuperação. Ela protocolará pedido de informações sobre os gastos. (Foto: Chico Camargo/CMC)
  • Professora Josete acha que os projetos do Plano de Recuperação não podem vir a plenário “porque trazem um rol enorme de dúvidas”. (Foto: Chico Camargo/CMC)
  • Pier Petruzziello parabenizou comissões de Legislação e de Economia pelo trâmite dos projetos do Plano de Recuperação. (Foto: Chico Camargo/CMC)
  • Cacá Pereira criticou generalização de Petruzziello sobre sindicatos e imposto sindical. (Foto: Chico Camargo/CMC)
  • Servidores protestam contra números informados erroneamente em projeto do Plano de Recuperação sobre o IPMC, corrigidos na semana passada. (Foto: Chico Camargo/CMC)
O chamado Plano de Recuperação de Curitiba, enviado pelo Executivo à Câmara Municipal no final de março e alvo de protesto dos servidores, gerou diferentes manifestações dos vereadores na sessão desta segunda-feira (22). Noemia Rocha (PMDB), por exemplo, foi à tribuna questionar campanha publicitária lançada pelo Executivo a favor dos projetos de lei. Ela disse que irá protocolar pedido de informações oficiais sobre os gastos com as propagandas, veiculadas em TV, rádio e encartadas em jornais, por exemplo.

Para Noemia, a propaganda está colocando a população contra os vereadores contrários ao Plano de Recuperação. “Hoje eu recebi este encarte, sem tiragem, sem jornalista responsável. Está em todos os jornais que circulam na cidade de Curitiba. Daí tem dinheiro para gastar, um valor que é exorbitante. Não é justo, enquanto [isso] se está negando os direitos dos servidores”, declarou. Segundo ela, o Executivo “está usando a máquina pública para convencer a população que o problema de Curitiba são os servidores e os pequenos credores”.

Professora Josete (PT), por sua vez, comentou o voto em separado que apresentou na Comissão de Economia, Finanças e Fiscalização pela inadmissibilidade do projeto que atualiza o valor da meta fiscal de 2017 para R$ 2,19 bilhões negativos. O colegiado, no entanto, acompanhou o parecer do relator, Thiago Ferro (leia mais). A matéria, para a vereadora, traz diversas “incongruências”, como contratos já encerrados e que não constariam mais no Portal da Transparência da prefeitura.

Outro problema apontado por ela é que a proposta do Plano de Recuperação que pretende alterar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) vigente aponta deficit por despesas de pessoal, mas outo projeto congela planos de carreira e altera a forma como é concedida a reposição anual. “Eu solicito que a gente tenha mais reuniões com os secretários, para que se esgote todas as dúvidas, porque as reuniões tratam de todos os projetos ao mesmo tempo e daí não conseguimos esgotar nenhum. No meu entendimento não podemos votar nenhum deles, porque trazem um rol enorme de dúvidas.” Vice-líder do prefeito na Casa, Sabino Picolo (DEM) respondeu que os questionamentos dos vereadores, como os pedidos de informações, serão respondidos durante o trâmite nas comissões.

Polêmica
Líder do prefeito, Pier Petruzziello (PTB) parabenizou os vereadores dos colegiados de Legislação e de Economia pelo “trâmite célere a esses projetos”. “Que venham rapidamente à sessão plenária, para que possamos dar o retorno à população”, completou. O parlamentar disse “compreender os sindicatos”, que já pela manhã protestavam em frente ao Palácio Rio Branco, com fantasmas em alusão a dados corrigidos na semana passada em projeto do IPMC (leia mais), e declarou que o fim da contribuição sindical, mote de uma das reformas em tramitação no Congresso Nacional, “vai dar chance que esses sindicatos sejam derrotados”.

Cacá Pereira (PSDC) e Professora Josete reclamaram da generalização. “Troco 12 meses de salário de dirigente sindical por um mês de salário na Cohapar”, disse ele. “Há muitos sindicalistas sérios, que não enriquecem, assim como há políticos. Quando generalizamos cometemos um erro muito sério”, complementou ela.


Texto:   Fernanda Foggiato
Revisão:   Filipi Oliveira
 
Reprodução do texto autorizada mediante citação da Câmara Municipal de Curitiba.


Arquivos para download:
Voltar
 

Este legislativo municipal oferece através de seu site uma visão geral dos trabalhos realizados em prol da cidade de Curitiba. Acompanhe nesta ferramenta o trabalho dos vereadores, a execução do orçamento, e tenha acesso a diversas informações institucionais e de funcionamento. Nosso objetivo maior é o de dar transparência aos trabalhos aqui realizados. Lembramos que este site está em constante atualização e melhoria. Sua visita frequente é muito importante.

© 1997 - 2017 - Câmara Municipal de Curitiba - todos os direitos reservados

Câmara Municipal de Curitiba - Rua Barão do Rio Branco, 720 - Curitiba - Paraná - Brasil - CEP: 80010-902
Fone: (41) 3350-4500 - Fax: (41) 3350-4737 - Email geral:
camara@cmc.pr.gov.br

Esse site pode ser melhor visualizado nos seguintes navegadores: Firefox 29, IE 11, Chrome 35 ou versões superiores.