back index CÂMARA MUNICIPAL
CURITIBA

Curitiba, 21 de novembro de 2019
 
Sim Não
controle de spam, digite o código no campo acima
Email Versão para impressão

Data: 11/07/2019 - 14:38:42

Projeto inclui agressão verbal a
servidor como acidente de trabalho

  • Projeto de lei inclui agressão verbal a servidor municipal, no exercício de sua função ou em razão dela, como acidente de trabalho.(Foto: Arquivo/CMC)
  • Para Noemia Rocha, garantir que a agressão verbal seja tratada como acidente de trabalho é uma medida moderna e traria qualidade ao ambiente de trabalho. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)
Projeto em tramitação na Câmara Municipal de Curitiba (CMC) determina que a agressão verbal ao servidor, tanto no exercício de sua função ou cargo quanto em decorrência deles, também seja enquadrada como acidente de trabalho. Autora da proposição (005.00120.2019), a vereadora Noemia Rocha (MDB) ressalta que a lei municipal 3.963/1971, que dispõe sobre as licenças para tratamento de saúde ao funcionalismo, é genérica. Já o decreto 176/1982, que regulamenta o artigo 12 da norma, trata apenas da violência física.

Noemia defende que “várias são as agressões verbais sofridas diariamente pelos servidores, nas centenas de repartições e órgãos públicos da capital”. Para a vereadora, garantir expressamente que a agressão verbal também seja considerada um acidente de trabalho – e, consequentemente, que o servidor tenha direito à licença para tratamento de saúde e demais garantias legais – preenche um “vácuo normativo”. A medida, acrescenta ela, seria moderna e traria qualidade ao ambiente de trabalho.

A autora lembra que os servidores municipais possuem deveres relativos à urbanidade e ao respeito, dentre outros. Por outro lado, Noemia reforça que muitos deles são “vítimas, em grandes proporções, das mais variadas formas de agressões, acusações e condutas desrespeitosas, por vezes mesmo violentas, e que repercutem não só na qualidade e eficiência do serviço, como na saúde e no bem-estar, com efeitos imediatos em sua estrutura psíquica e emocional”.

Na prática, o projeto pretende alterar a redação do parágrafo 3º do artigo 12 da lei 3.963/1971, que já considera a agressão sofrida pelo funcionário público municipal como acidente de trabalho, mas não especifica a modalidade dessa violência. Já Noemia deseja que a redação aponte, expressamente, as hipóteses de agressão física ou verbal. Segundo a norma vigente, “o funcionário acidentado ou que venha contrair doença profissional, em razão de seu cargo ou função, terá assegurado o tratamento por conta do Município”.

Tramitação
Protocolado no dia 5 de junho, o projeto aguarda a instrução da Procuradoria Jurídica da CMC, para então passar pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Nos colegiados, poderão ser solicitados estudos adicionais, juntada de documentos faltantes, revisões no texto ou o posicionamento de outros órgãos públicos afetados por seu teor. Depois do trâmite nas comissões, a proposição estará apta para seguir para o plenário e, se aprovada, para a sanção do prefeito para se tornar lei.


Texto:   João Cândido Martins
Revisão:   Fernanda Foggiato
 
Reprodução do texto autorizada mediante citação da Câmara Municipal de Curitiba.


Arquivos para download:
  • Fotos:

Voltar
 

Este legislativo municipal oferece através de seu site uma visão geral dos trabalhos realizados em prol da cidade de Curitiba. Acompanhe nesta ferramenta o trabalho dos vereadores, a execução do orçamento, e tenha acesso a diversas informações institucionais e de funcionamento. Nosso objetivo maior é o de dar transparência aos trabalhos aqui realizados. Lembramos que este site está em constante atualização e melhoria. Sua visita frequente é muito importante.

© 1997 - 2019 - Câmara Municipal de Curitiba - todos os direitos reservados

Câmara Municipal de Curitiba - Rua Barão do Rio Branco, 720 - Curitiba - Paraná - Brasil - CEP: 80010-902
Fone: (41) 3350-4500 - Fax: (41) 3350-4737 - Email geral:
camara@cmc.pr.gov.br

Esse site pode ser melhor visualizado nos seguintes navegadores: Firefox 29, IE 11, Chrome 35 ou versões superiores.