back index CÂMARA MUNICIPAL
CURITIBA

Curitiba, 18 de fevereiro de 2020
 
Sim Não
controle de spam, digite o código no campo acima
Email Versão para impressão

Data: 10/02/2020 - 13:32:35

CMC rejeita divulgação antecipada
de aumento na tarifa de ônibus

  • Tico Kuzma defendia divulgação antecipada de reajustes na tarifa do transporte coletivo. Projeto foi rejeitado em plenário. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)
  • Pier Petruzziello justificou que anúncio de reajustes com 30 dias de antecedência geraria “uma compra especulativa [de créditos]”. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)
  • Professora Josete: “É lamentável que um projeto que busca trazer transparência, e que minimamente o usuário se prepare para o reajuste, seja rejeitado”. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)
  • Serginho do Posto também participou do debate da proposição, com questionamentos ao autor. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)
A Câmara Municipal de Curitiba (CMC) rejeitou, na sessão desta segunda-feira (10), projeto de lei que determinava a divulgação de qualquer reajuste no valor da tarifa de ônibus da capital pelo menos 30 dias antes da cobrança. Autor da matéria, o vereador Tico Kuzma (Pros) defendia o direito à informação do usuário do sistema de transporte coletivo. O substitutivo geral teve  18 votos contrários, 11 favoráveis e 1 abstenção (031.00095.2019). O plenário derrubou ainda a proposição original, com 19 votos contrários e 11 favoráveis (005.00036.2019).

>> Leia também: Aprovada alteração no serviço de táxi e projetos em 2º turno

Kuzma pretendia acrescentar um inciso ao artigo 26 da lei municipal 12.597/2008, que dispõe sobre o sistema de transporte coletivo da capital. Esse é o dispositivo da norma que trata da fixação da tarifa pela administração pública, “com base em planilha de custos e resultados do sistema, precedida de proposta da Urbs”. “Acredito que não há prejuízo ao transporte público, pois quem ganha é a população. E nós vereadores que estamos aqui, os 38, é para defender a população. Digo que não há prejuízo pois o crédito do cartão-transporte é feito [comprado] em valores, em reais, e não em quantidade de passagens”, disse o autor.

Líder do prefeito na CMC, Pier Petruzziello (PTB) encaminhou, “tecnicamente”, o voto contrário. “Em que pese a ideia ser bastante interessante, tem coisas que infelizmente não conseguimos fazer. E que se lembre que a prefeitura reduziu a tarifa em horários não de pico, pela primeira vez na história, o que já ajuda a população”, declarou. O anúncio de reajuste com 30 dias de antecedência, justificou, geraria “uma compra especulativa [de créditos] muito grande, para o mês seguinte”. “Quando o então vereador Goura entrou com a liminar e conseguiu suspender o aumento por dois dias, a Urbs teve um prejuízo de R$ 350 mil”, completou.

“Gostaria, independentemente do resultado da votação, de deixar uma observação. Que se traga o esclarecimento a esta Casa em relação à possibilidade da compra especulativa que vossa excelência falou. Acabamos de falar que o usuário compra o crédito do transporte em valor monetário, não compra uma quantidade de passagens”, rebateu Kuzma. “Se o prefeito anunciar que dentro de 30 dias vai ter aumento, ele vai ter direito a menos passagens que tinha hoje. A lei diz que o que vale é o crédito em valor.”

Líder da oposição, Professora Josete (PT) justificou o voto favorável: “Temos sim um grave problema de transparência em relação à gestão da Urbs, aos dados da Urbs, como também a questão da composição da tarifa”. “É lamentável que um projeto que busca trazer transparência, e que minimamente o usuário se prepare para o reajuste, seja rejeitado por esta Casa. Não entendemos o porquê dessa orientação [à base]. Não tem fundamento técnico”, opinou.

O vereador Serginho do Posto (PSDB) também participou do debate da proposição, com questionamentos ao autor. Ele perguntou, por exemplo, se a divulgação antecipada do aumento da tarifa não prejudicaria a negociação do dissídio dos motoristas e cobradores de ônibus. Na avaliação de Kuzma, caberia ao Executivo, para não prejudicar a categoria, “uma questão de planejamento e cálculos”.


Texto:   Fernanda Foggiato
Revisão:   Claudia Krüger
 
Reprodução do texto autorizada mediante citação da Câmara Municipal de Curitiba.


Arquivos para download:
  • Fotos:

Voltar
 

Este legislativo municipal oferece através de seu site uma visão geral dos trabalhos realizados em prol da cidade de Curitiba. Acompanhe nesta ferramenta o trabalho dos vereadores, a execução do orçamento, e tenha acesso a diversas informações institucionais e de funcionamento. Nosso objetivo maior é o de dar transparência aos trabalhos aqui realizados. Lembramos que este site está em constante atualização e melhoria. Sua visita frequente é muito importante.

© 1997 - 2020 - Câmara Municipal de Curitiba - todos os direitos reservados

Câmara Municipal de Curitiba - Rua Barão do Rio Branco, 720 - Curitiba - Paraná - Brasil - CEP: 80010-902
Fone: (41) 3350-4500 - Email geral:
camara@cmc.pr.gov.br

Esse site pode ser melhor visualizado nos seguintes navegadores: Firefox 29, IE 11, Chrome 35 ou versões superiores.