back index CÂMARA MUNICIPAL
CURITIBA

Curitiba, 26 de maio de 2020
 
Sim Não
controle de spam, digite o código no campo acima
Email Versão para impressão

Data: 18/03/2020 - 11:51:17

Aprovado convênio com DNIT para
conclusão das obras da Linha Verde

  • Com 25 votos favoráveis e 1 abstenção, CMC aprova projeto que pede autorização para convênio de R$ 79,5 mi com o DNIT para obras na Linha Verde. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)
  • “O convênio traz os trechos exatos [para a conclusão das obras na Linha Verde]. A União solicitou ao Município esse detalhamento. Não envolve recursos”, comentou Professora Josete. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)
  • Serginho: “O projeto é bem específico, traz o número do convênio. Esta Casa já fez aprovação anteriormente em relação a esse convênio. Os documentos anexados são claros e transparentes”. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)
  • Único vereador a se abster do voto, Professor Euler lamentou que o convênio com o DNIT poderia ter sido firmado muito tempo atrás. Ele quer uma CPI para investigar as obras, que começaram a 14 anos. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)
A Câmara Municipal de Curitiba (CMC) aprovou nesta quarta-feira (18) o projeto de lei do Poder Executivo que pede autorização para a assinatura de convênio de R$ 79,5 mi-lhões com o Departamento Nacional de Infraestruturas de Transporte (DNIT). Em tra-mitação em regime de urgência desde 12 de fevereiro, a matéria foi acatada em plená-rio com 25 votos favoráveis e 1 abstenção e retorna à pauta da sessão extraordinária de amanhã (19) em segundo turno.

O montante é destinado à conclusão da Linha Verde Norte, no trecho que vai do rio Ba-cacheri até o entroncamento das BRs 116 e 476; e à implantação de uma trincheira li-gando a rua Rio Juruá com o prolongamento da rua Antônio de Cristo, com seis faixas de circulação. Na justificativa, a prefeitura explica que as obras serão divididas em duas etapas e que parte dos recursos está contemplada no Orçamento Geral da União (OGU), no âmbito do Programa Mobilidade Urbana e Trânsito. O Município entrará com uma contrapartida.

Conforme o projeto (005.00019.2020), as obras de conclusão da Linha Verde compreen-derão a implantação de canaleta exclusiva para o transporte coletivo tipo BRT, para o tráfego de ônibus articulados e biarticulados; das vias marginais, que são as duas vias laterais à canaleta exclusiva, destinadas à circulação de veículos em geral; e das vias locais, esquerda e direita, para acessos e atendimento às atividades lindeiras.

“No cruzamento deste eixo com a continuação da BR-116, acesso à Curitiba, será im-plantada uma transposição em desnível (trincheira), com seis faixas de circulação, e uma estação de embarque e desembarque similar às já implantadas ao longo da Linha Verde, a Estação Atuba, onde será feita a integração com os ônibus alimentadores”, continua o prefeito Rafael Greca, na mensagem enviada à CMC.

Professora Josete (PT), integrante da Comissão de Economia, Finanças e Fiscalização, explicou que técnicos da prefeitura esclareceram dúvidas dos vereadores quando o pro-jeto passou pelo colegiado. “O convênio traz os trechos exatos [para a conclusão das obras na Linha Verde]. A União solicitou ao Município esse detalhamento. Não envolve recursos”, comentou a vereadora, que disse não ter visto problemas na tramitação da matéria. Líder da oposição, ela encaminhou voto favorável à bancada.

Colega de Josete no colegiado de Economia, Serginho do Posto (PSDB) reforçou que a proposta trata apenas da autorização para que o Município possa utilizar o espaço que é de domínio público federal. “A partir daí, a prefeitura poderá executar a obra. É muito simples o entendimento. A circunscrição do Município em relação a áreas da União tem sido remarcada. O projeto é bem específico, traz o número do convênio. Esta Casa já fez aprovação anteriormente em relação a esse convênio. Os documentos anexados são claros e transparentes”.

Uma abstenção
Único vereador a se abster do voto, o segundo secretário da CMC, Professor Euler (PSD) lamentou que o convênio com o DNIT poderia ter sido firmado muito tempo atrás. “É uma das reclamações, inclusive, da empresa que antes estava operando a parte norte da Linha Verde, a Terpasul. Durante muito tempo foi pedido esse convênio, inclusive [com] instrução do Tribunal de Contas [do Estado]. Esse convênio foi adiado, adiado, o que inviabilizou que ela pudesse concluir [as obras]. Esse foi um dos motivos pelos quais a empresa foi retirada das obras e substituída pela Construtora Triunfo”, explicou.

O vereador informou que já recolheu 10 assinaturas – de 13 necessárias – para pedir a abertura de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar a demora na conclusão das obras da Linha Verde. Ele pediu apoio dos demais parlamentares para assinarem o requerimento “para que essa CPI possa ser realizada e que tenhamos es-clarecimentos gerais sobre esses 14 anos de obras na Linha Verde”.



Texto:   Pedritta Marihá Garcia
Revisão:   Filipi Oliveira
 
Reprodução do texto autorizada mediante citação da Câmara Municipal de Curitiba.


Arquivos para download:
  • Fotos:

Voltar
 

Este legislativo municipal oferece através de seu site uma visão geral dos trabalhos realizados em prol da cidade de Curitiba. Acompanhe nesta ferramenta o trabalho dos vereadores, a execução do orçamento, e tenha acesso a diversas informações institucionais e de funcionamento. Nosso objetivo maior é o de dar transparência aos trabalhos aqui realizados. Lembramos que este site está em constante atualização e melhoria. Sua visita frequente é muito importante.

© 1997 - 2020 - Câmara Municipal de Curitiba - todos os direitos reservados

Câmara Municipal de Curitiba - Rua Barão do Rio Branco, 720 - Curitiba - Paraná - Brasil - CEP: 80010-902
Fone: (41) 3350-4500 - Email geral:
camara@cmc.pr.gov.br

Esse site pode ser melhor visualizado nos seguintes navegadores: Firefox 29, IE 11, Chrome 35 ou versões superiores.