Bancada feminina é a maior da história da Câmara de Curitiba

por Michelle Stival da Rocha — publicado 12/05/2020 02h18, última modificação 12/05/2020 02h18
Bancada feminina é a maior da história da Câmara de Curitiba

Gráfico mostra a evolução da bancada feminina na Câmara.

No próximo ano Curitiba terá oito mulheres ocupando cadeiras no plenário da Câmara Municipal. É o maior número de vereadoras eleitas no mesmo pleito da história da cidade. A última legislatura recorde foi a de 2009/2012, com seis parlamentares e atualmente são cinco.  A mais votada na eleição de 2016 foi a novata Fabiane Rosa, do PSDC, com 7.328 votos. Também são estreantes na atividade Maria Manfron, (PP), Katia dos Animais de Rua (SD), e Dra. Maria Leticia Fagundes (PV).

Médica legista, Dra. Maria Letícia preside também a ong Mais Marias, que promove o enfrentamento da violência contra mulheres e crianças. “Fiz campanha com meus amigos, pacientes, colegas de trabalho, pessoas que conhecem a ong Mais Marias, fundada em 2012. Quero ser uma voz entre o terceiro setor – que  é muito esquecido pelo sistema público – com o município. Minha bandeira principal é combater a violência contra crianças e mulheres e, por ser médica, melhorar as condições de trabalho dos médicos.”

“Sou protetora dos animais há sete anos, nesses sete anos já tirei mais de mil animais das ruas. Então eu acreditava muito no meu potencial para poder representar os animais na Câmara. Minha primeira ideia é fazer um censo para saber quantos animais estão nas ruas e quantos estão domiciliados, para que a gente possa fazer uma proposta concreta em cima desta pesquisa.”A partir daí, ela disse que defenderá a vacinação e castração para todos os pets, “como já acontece em São Paulo, além de dar educação nas escolas sobre guarda responsável, microchipar os animais, fazer parceria com clínicas, penalizar as pessoas que abandonam, tem muita coisa a ser feita”.

Permanecem na Casa as veteranas Dona Lourdes, (PSB), Professora Josete (PT), Julieta Reis (DEM) e Noemia Rocha (PMDB). “É um passo importante [ter um número maior de representantes femininas na Câmara]. Vamos tentar articular uma bancada ativa no debate das questões relacionadas às mulheres. Para mim, há ainda o debate das políticas públicas, a questão fundamental que é a fiscalização do Executivo, para cumprirmos o nosso papel como vereadores. Este é um grande desafio”, comentou Josete.

Julieta Reis também comemorou o aumento da bancada feminina. “É uma conquista, isso é fantástico. Significa que estamos avançando na nossa participação e principalmente na disponibilidade da mulher em fazer política. A visão feminina é humanista, enxerga o interesse das crianças, das pessoas, das famílias.” Para ela, ser reeleita é um reconhecimento. “Foi um trabalho exaustivo de campanha, mas valeu a pena o reconhecimento das pessoas que acreditam no meu trabalho. Vou redobrar o meu esforço para trabalhar ainda mais pela cidade”, garantiu. Da atual bancada, só não foi reeleita a vereadora Carla Pimentel (PSC).