Câmara e Prefeitura de Curitiba firmam convênio de gestão documental

por Márcio Silva publicado 25/04/2020 02h21, última modificação 25/04/2020 02h21
 Câmara e Prefeitura de Curitiba firmam convênio de gestão documental

Foto: Chico Camargo/CMC

Proposições legislativas, papéis administrativos e registros históricos datados de 1948 em diante serão digitalizados pelo Arquivo Público da cidade, que depois armazenará os originais no Centro de Documentação. Esse é o teor do convênio assinado nesta segunda-feira (13) entre a Câmara Municipal de Curitiba (CMC) e o Executivo, em cerimônia realizada no gabinete do prefeito Rafael Greca. “Mais do que isso, o que assinamos é um convênio de gestão documental, no qual a metodologia de trabalho também é compartilhada”, ressaltou Serginho do Posto (PSDB), presidente do Legislativo.

“A cidade agradece a confiança da Câmara em conferir os documentos para guarda na prefeitura enquanto o Legislativo não tiver um espaço próprio”, respondeu Greca, lembrando que, em outro convênio da CMC com a Fundação Cultural de Curitiba (FCC), repassou à Casa da Memória – para restauro e armazenamento – 176 livros de período anterior, publicados entre os séculos 17 e 20. Também acompanharam a assinatura do convênio os vereadores Bruno Pessuti (PSD), Mauro Ignácio (PSB), Julieta Reis (DEM), Maria Letícia Fagundes (PV), Geovane Fernandes (PTB), Ezequias Barros (PRP), Oscalino do Povo (Pode), Zezinho Sabará (PDT) e Chicarelli (DC).

O secretário de Administração e Recursos Humanos, Heraldo Alves das Neves, e o diretor do Arquivo Público, Rubens Zampieri, garantiram aos parlamentares que o espaço no qual a documentação será armazenada “é de primeiro mundo”. “Não é só a guarda [que é um serviço de ponta], mas também a metodologia usada em Curitiba está bem na frente de outras capitais”, disse Zampieri. A digitalização dos documentos será feita em lotes, durante os cinco anos do convênio.

“Com a digitalização será possível disponibilizar essa documentação à população, que também é um dever do arquivista. Além de aumentar a preservação dos materiais, pois eles serão menos manuseados”, destacaram Andressa Regina Bonn dos Santos e Jean Rodolfo Fermino, da Seção de Arquivo e Documentação Histórica da CMC. Eles acompanharam a assinatura do convênio, assim como o chefe do Departamento de Plenário e Processo Legislativo (Deprole), Elcio José Pereira.

Cooperação técnica
“Grande parte do acervo documental da CMC encontra-se em estado irregular de conservação, visto que não há sala climatizada nem laboratório com equipamento e material específico para higienização, acondicionamento e tratamento técnico”, registra a justificativa do termo de cooperação técnica. “Portanto torna-se imprescindível o convênio para, além de operacionalizar as ações de conservação do acervo, disponibilizar o conhecimento necessário e equipe técnica para a correta digitalização e orientações para os tratamentos técnicos”. A cooperação técnica não implica em transferência de recursos financeiros entre Legislativo e Executivo. 



presi+pref_952A1847.JPG

"Assinamos um convênio de gestão documental, no qual a metodologia de trabalho também é compartilhada", disse Serginho do Posto. (Foto: Chico Camargo/CMC) 


assinatura_pref_952A1899.JPG

"A cidade agradece a confiança da Câmara em conferir os documentos para guarda na prefeitura enquanto o Legislativo não tiver um espaço próprio", afirmou Greca. (Foto: Chico Camargo/CMC) 


geral_952A1946.JPG
Participaram da cerimônia, realizada no gabinete do prefeito, vereadores, servidores da Câmara e da Prefeitura de Curitiba. (Foto: Chico Camargo/CMC)