Câmara discutirá violência contra a mulher durante a pandemia

por Filipi Oliveira — publicado 19/05/2020 18h24, última modificação 19/05/2020 18h24 Reprodução do texto autorizada mediante citação da Câmara Municipal de Curitiba.
Câmara discutirá violência contra a mulher durante a pandemia

Câmara discutirá a violência contra a mulher no dia 25 de maio. (Arte: Leticia Bostelmann/CMC)

A Câmara Municipal de Curitiba (CMC) debaterá, na sessão virtual da próxima segunda-feira (25), a violência contra mulher em tempos de pandemia, com a coordenadora da Casa da Mulher Brasileira, Sandra Prado, e com a assessora de Direitos Humanos e Políticas para as Mulheres, Elenice Malzoni. A iniciativa é da Procuradoria da Mulher da Câmara de Curitiba e da bancada feminina da Casa.

“Queremos saber se os índices de violência contra a mulher aumentaram, fazer uma análise do panorama que envolve essa questão”, disse a procuradora da Mulher na Câmara de Curitiba, Julieta Reis (DEM). Ela revelou também que pretende abordar a violência doméstica. “Estamos no Maio Laranja e queremos ver de que forma a violência contra a mulher também se traduz na violência contra a criança e qual o impacto na família”, destacou. Maio Laranja é o mês de conscientização de combate ao abuso e exploração sexual infanto-juvenil (leia mais).

O requerimento (054.00007.2020), que reserva o horário do Grande Expediente da sessão do dia 25 de maio, foi assinado pelas oito vereadoras de Curitiba – Julieta Reis; Maria Leticia (PV) e Noemia Rocha (MDB) primeira e segunda procuradoras adjuntas, respectivamente; e Dona Lourdes (PSB), Fabiane Rosa (PSD), Katia Dittrich (Solidariedade), Maria Manfron (PP) e Professora Josete (PT). O documento foi aprovado por unanimidade do plenário, na sessão desta segunda-feira (19). “A Casa da da Mulher Brasileira, como centro de referência para mulheres em situação de violência, pode esclarecer sobre a realidade não só mundial, mas principalmente em nossa cidade no atual cenário de confinamento”, diz o texto.

Na justificativa, o requerimento ainda cita um artigo publicado no site da ONU (Organização das Nações Unidas) da diretora-executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka. Ela afirma que “o confinamento está promovendo tensão e tem criado pressão pelas preocupações com segurança, saúde e dinheiro. E está aumentando o isolamento das mulheres com parceiros violentos, separando-as das pessoas e dos recursos que podem melhor ajudá-las”.

Noemia Rocha, em contato com a reportagem, ressaltou que a Procuradoria da Mulher da CMC está criando um canal de comunicação para receber denúncias. “É o desejo das oito vereadoras de contribuir neste momento de pandemia para amenizar uma situação tão grave que é a violência contra a mulher”, destacou a vereadora. O e-mail da Procuradoria da Mulher da Câmara Municipal de Curitiba é procuradoriadamulher@cmc.pr.gov.br.

Leia também

Procuradoria da Mulher da Câmara realiza primeira visita oficial