Corregedoria considera graves indícios e representa vereadora no Conselho de Ética

por José Lazaro Jr. — publicado 14/08/2020 15h00, última modificação 17/08/2020 19h19
Corregedoria considera graves indícios e representa vereadora no Conselho de Ética

Corregedor da CMC, Mauro Ignácio entrega ao presidente do Legislativo, Sabino Picolo, representação em desfavor da vereadora. (Foto: CMC)

A Corregedoria da Câmara Municipal de Curitiba (CMC), na manhã desta sexta-feira (14), apresentou representação em desfavor da vereadora Fabiane Rosa (PSD) no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar. Para a Corregedoria, que teve acesso  à investigação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná, a conduta da parlamentar, se confirmada pelo órgão disciplinar da CMC, é punível com a perda do mandato. 

Segundo Mauro Ignácio (DEM), corregedor da CMC, após onze dias de sindicância, com realização de diligências internas e acesso ao trabalho do Gaeco, “constatamos serem graves as denúncias apresentadas”. “Esta Corregedoria está representando a vereadora pela perda do mandato junto ao Conselho de Ética, no qual ela terá amplo direito de defesa”. Sobre os indícios reunidos pelo Gaeco, Ignácio diz não poder expô-los em razão da “documentação estar em segredo de Justiça”.

No dia 27 de julho, a vereadora foi presa preventivamente pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, suspeita de exigir dos funcionários comissionados do seu gabinete parlamentar a devolução de parte da remuneração deles. Na mesma semana, dia 30, a Mesa Diretora da CMC pediu que a Corregedoria instaurasse sindicância para “apurar os fatos, supostamente ilícitos, que envolvam a vereadora citada”. 

No dia 11 de agosto, por decisão do Tribunal de Justiça do Paraná, Fabiane Rosa teve a detenção no Complexo Médico Penal em Piraquara convertida em prisão domiciliar. Em vídeo nas redes sociais, a vereadora disse ter passado “os piores 16 dias de sua vida”, que está “colaborando com as investigações” e que é fiel à causa da defesa animal.