Educação admite Cidadania Honorária a Tito Livio Barichello

por Claudia Krüger — publicado 31/08/2020 21h30, última modificação 31/08/2020 21h45
Educação admite Cidadania Honorária a Tito Livio Barichello

Comissão de Educação admitiu sete proposições que constavam na pauta desta segunda-feira. (Foto: Divulgação/Sesp)

A Comissão de Educação, Cultura e Turismo admitiu, em reunião remota nesta segunda-feira (31), sete proposições que constavam na pauta do colegiado. Entre elas o projeto que concede a Tito Livio Barichello o título de Cidadão Honorário de Curitiba (006.00007.2020). Nascido em Caçador (SC), o homenageado estudou Direito na Universidade Federal do Paraná.

Depois de trabalhar como delegado no estado de Minas Gerais, Barichello retornou ao Paraná, após aprovação em novo concurso público para delegado de polícia. É ainda professor da Escola Superior da Polícia Civil do Paraná para investigadores, escrivães e delegados. A homenagem é iniciativa de Cristiano Santos (PV).

Também foi acatado pelo colegiado substitutivo geral ao projeto que prevê a alteração na grafia da denominação do Jardinete Isel Pellizzari Koehler, de autoria da vereadora Maria Leticia (PV) (010.00001.2020). No decreto, o nome está como “Izel”, sendo a escrita correta com a letra “s”. O substitutivo foi apresentado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) para correções técnicas na redação (031.00038.2020).

Outras cinco indicações para premiações foram admitidas pela Comissão de Educação e podem ser conferidas no Sistema de Proposições Legislativas (SPL). Compõem o colegiado os vereadores Geovane Fernandes (Patriota), presidente, Fabiane Rosa (PSD), vice, Dona Lourdes (PSB), Marcos Vieira (PDT) e Professor Silberto (MDB).

Restrições eleitorais

A cobertura jornalística dos atos públicos do Legislativo será mantida, objetivando a transparência e o serviço útil de relevância à sociedade. Também continua normalmente a transmissão das sessões plenárias e reuniões de comissões pelas mídias sociais oficias do Legislativo (YouTubeFacebook e Twitter). Entretanto, citações, pronunciamentos e imagens dos parlamentares serão controlados editorialmente até as eleições, adiadas para o dia 15 de novembro de 2020, em razão da pandemia do novo coronavírus.

Em respeito à legislação eleitoral, não serão divulgadas informações que possam caracterizar uso promocional de candidato, fotografias individuais dos parlamentares e declarações relacionadas aos partidos políticos. As referências nominais aos vereadores serão reduzidas ao mínimo razoável, de forma a evitar somente a descaracterização do debate legislativo (leia mais).