Notas de sessão plenária de 26 de maio

por *Notícia elaborada pela estudante de Jornalismo Isabela Miranda, especial para a CMC. — publicado 28/05/2020 18h41, última modificação 28/05/2020 18h41
Colaboradores: Supervisão do estágio e revisão do texto: Filipi Oliveira
Reprodução do texto autorizada mediante citação da Câmara Municipal de Curitiba.
Crise hídrica I
Para diminuir o consumo de água e evitar o desperdício de água, Tico Kuzma (Pros) sugeriu ao governador Ratinho Júnior e ao presidente da Sanepar, Claudio Stabile, que a cobrança seja calculada e cobrada por metro cúbico e não pelo consumo mínimo para aqueles que pagam as tarifas residencial normal, de micros e pequenos comércios e de imóveis comerciais. “O requerimento (043.00125.2020) se baseia no agravamento da estiagem no Paraná, que fez o governador decretar emergência hídrica por 180 dias”, disse Kuzma, no pequeno expediente da sessão desta terça-feira (26).

Crise hídrica II
“A partir do momento que a Sanepar passar a cobrar por metro cúbico, isso fará com que as pessoas economizem mais água e deixem de gastar, ou gastar aquele mínimo de consumo que elas têm direito”, afirmou Tico Kuzma. Ele contou que ouviu moradores, comerciantes e representantes da Associação Comercial do Capão Raso, que “reclamaram que continuam pagando a taxa mínima, por mais que seus comércios estavam fechados, não tinham água, ou com esse rodízio feito pela própria Sanepar não estão consumindo aquilo que consumiam habitualmente de água, tendo que pagar a tarifa mínima”.

Cisternas
O vereador Oscalino do Povo (PP) encaminhou ao Executivo a sugestão de implementar cisternas nos prédios públicos da administração municipal como, por exemplo, escolas e Unidades de Saúde (203.00164.2020). O vereador justifica a medida “tendo em vista que o Município está passando por uma fase de secas nos reservatórios”. *

Desagravo I
Fabiane Rosa exibiu e criticou declarações do deputado federal Boca Aberta (Pros/PR), que em seu canal no YouTube critica a atuação da guarda municipal de Londrina, cidade onde mora e por onde foi eleito. Para ele, os guardas municipais deveriam trabalhar apenas no zelo de prédios públicos e não utilizar armas e fuzis, trabalhando na segurança pública. “Sinto vergonha desse tipo de comportamento. É uma afronta aos valorosos guardas municipais. Que retrocesso absurdo, que pensamento pequeno, senhor deputado”, criticou Fabiane Rosa.

Desagravo II
Fabiane Rosa disse que o deputado federal utiliza o programa “para ofender e achacar uma das maiores corporações do país”, que ele “faz chacota” e que “demonstra desconhecimento da lei 13022/2014, que cria o estatuto geral da Guarda Municipal e traz, em seu artigo 5º, 18 competências específicas”. No vídeo, a esposa do deputado, Mara Boca Aberta, compara os guardas municipais a “robocops da motocicleta”. Fabiane rebateu: “Eu tenho orgulho de ser esposa do robocop da motocicleta, que arrisca a vida para cuidar da sua vida e de todas as pessoas”.

Transporte coletivo
Professora Josete (PT) vai pedir esclarecimento da Urbs em relação às linhas que estão, segundo ela, com ônibus superlotados. A vereadora disse que recebeu essa reclamação ontem pelo Facebook de uma cidadã, que não quis se identificar. “Precisamos cobrar, esse é o nosso papel de fiscalizadores e fiscalizadoras que somos, da Urbs que os ônibus não andem superlotados. Temos que garantir que as pessoas possam se movimentar pela cidade de forma confortável e segura”, afirmou.

Óbitos
O vereador Professor Euler (PSD) questiona a Prefeitura sobre o número total de óbitos confirmados e suspeitos – por causa do novo coronavírus – desde o início da pandemia até a data de resposta do pedido de informação, requerendo uma relação com a quantidade diária (062.00274.2020). *
 
Proteção individual 
A vereadora Maria Leticia (PV) questiona a Prefeitura sobre qual o órgão responsável pela fiscalização das obras públicas e como essa fiscalização é realizada (062.00272.2020). Em relação aos cuidados com a propagação da Covid-19, a vereadora questiona quais as medidas adotadas sobre os trabalhadores da construção civil, se há alguma fiscalização sobre os equipamentos de proteção, se há alguma medida de obrigatoriedade às empreiteiras e construtoras para distribuição dos equipamentos e sobre a fiscalização dos equipamentos já usados pelos trabalhadores. *
 
Plano Cicloviário I
Maria Leticia também questiona a Prefeitura sobre trechos que constam no Plano Cicloviário que têm obras em fase de implantação em 2018/2019. São eles: Linha Verde - Trecho 3.1 - 2,0 km; Linha Verde - trecho 4.1 - 2,7 km; Avenida República Argentina - 5,8 km; rua Konrad Adenauer / Dante Angelote / José Zgoda - 2,6 km; Júlio Eduardo Gineste - 1,5 km; e Binário Nova Aurora/Ourizona - 1,7 km. *
 
Plano Cicloviário II
Maria Leticia pergunta se as obras já foram finalizadas – com ciclovias, ciclofaixas, ciclorrotas e vias compartilhadas – e, se não há implantação das ciclofaixas, qual a previsão de implantação. Questiona qual o número do edital de licitação das obras mencionada e qual a data de início e a previsão de fim das obras (062.00277.2020). *
 
Segurança e lombada
O vereador Osias Moraes (Republicanos) sugeriu que o Executivo implemente um Módulo Operacional da Guarda Municipal no bairro São Brás (203.00165.2020). Moraes também sugeriu que seja implementada uma lombada física na rua Izidoro Chanoski, entre as ruas Inglês de Souza e Estéfano Joucoski, no bairro Vista Alegre (203.00166.2020). *