Vereadores confirmam Semana de Conscientização da Doença Celíaca

por Fernanda Foggiato — publicado 18/05/2020 17h20, última modificação 18/05/2020 17h20 Reprodução do texto autorizada mediante citação da Câmara Municipal de Curitiba.
Vereadores confirmam Semana de Conscientização da Doença Celíaca

Bruno Pessuti agradeceu o apoio à proposta de lei. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)

Em segundo turno unânime, com 35 votos, a Câmara Municipal de Curitiba (CMC) acatou projeto para instituir a Semana de Conscientização da Doença Celíaca, em maio. A proposta é do vereador Bruno Pessuti (PSD) e também reconhece Curitiba como a capital dos celíacos (005.00172.2019). Além de sugestões ao Executivo, o plenário aprovou, na sessão desta segunda-feira (18), três propostas de lei em primeiro turno, como crédito de R$ 48,7 milhões ao Instituto Curitiba de Saúde.

As atividades de conscientização à doença autoimune, cuja reação imunológica à ingestão de glúten causa uma inflamação que pode danificar o revestimento do intestino delgado, ocorreriam anualmente, na semana de 16 de maio – Dia Internacional do Celíaco. A ideia é iluminar prédios da administração municipal com a cor verde, dentre outras ações.

A doença celíaca, que segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) atinge cerca de 1% da população mundial, pode provocar diarreia, perda de peso, anemia e até câncer. No debate em segundo turno, o vereador Herivelto Oliveira (Cidadania) reforçou dificuldades da pessoa com a intolerância ao glúten, como o elevado preço da dieta especial, mesmos dos produtos nacionais, e o diagnóstico complexo, feito por gastroenterologista, que além de exames de sangue depende da realização de biópsia.

“A doença celíaca possui pouca visibilidade e discussão. Como se fosse uma alergia que ataca as paredes do intestino e dependendo do grau pode até matar. Mas na verdade não é uma alergia, é uma intolerância à proteína do trigo”, acrescentou Oliveira. Ele ainda leu depoimento de moradora da região de Curitiba, com a doença celíaca, hospitalizada devido à contaminação cruzada, e anunciou live em seu Instagram, às 18 horas desta terça-feira (19), junto à Associação dos Celíacos do Paraná (Acelpar).

“É muito importante conscientizar as pessoas com doença celíaca sobre não ter contato com o glúten, assim como aqueles que desejam ter uma melhor qualidade de vida”, disse o autor da matéria. “Conto com você [Oliveira] para que possamos fazer ainda mais pelas pessoas celíacas de Curitiba e do Paraná”, agradeceu. O projeto já havia sido discutido em primeiro turno, na semana passada. Bruno Pessuti destacou, por exemplo, as atividades da Acelpar, fundada em 1998.

Pier Petruzziello (PTB) voltou a falar de proposta de sua iniciativa em tramitação na Comissão de Saúde que, dentre outras ações, regulamenta a venda de produtos para pessoas com intolerância ao glúten e à lactose nos Armazéns da Família (005.00236.2019, com o substitutivo 031.00019.2020). Também trata dos afetados financeiramente por situações de emergência e calamidade, como a crise ocasionada pela pandemia da covid-19 (saiba mais). Segundo o vereador, a expectativa é que em breve o projeto seja analisado em plenário.