Vítima da Covid-19, CMC lamenta morte de ex-comandante da Guarda Municipal

por Claudia Krüger e José Lazaro Jr. — publicado 10/08/2020 15h40, última modificação 26/08/2020 12h59
Vítima da Covid-19, CMC lamenta morte de ex-comandante da Guarda Municipal

Câmara Municipal de Curitiba lamenta falecimento de ex-comandante da Guarda Municipal, Odgar Nunes Cardoso. (Foto: Pedro Ribas/SMCS)

Vítima da Covid-19, CMC lameOs vereadores da Câmara Municipal de Curitiba (CMC) lamentaram, na sessão plenária desta segunda-feira (10), o falecimento do guarda municipal Odgar Nunes Cardoso, aos 60 anos de idade, em decorrência da Covid-19, no dia 5 de agosto. Com 31 anos de corporação, Cardoso foi membro da primeira turma da Guarda Municipal (GM) e, por três vezes, foi diretor da GM, segundo vice-presidente da CMC, Tito Zeglin (PDT). O presidente da Câmara Municipal, Sabino Picolo (DEM), fez com que a CMC guardasse um minuto de silêncio em homenagem póstuma ao profissional.

A vereadora Julieta Reis (DEM) lamentou a morte de Odgar, a quem chamou de amigo e se mostrou preocupada com o avanço do novo coronavírus em Curitiba. “Ele era um dos mais antigos da corporação, era jovem e forte, teve uma alergia, foi ao hospital e depois se verificou que era Covid-19”, disse a parlamentar. Os vereadores aprovaram um voto de pesar pelo falecimento do ex-comandante da Guarda Municipal (078.00090.2020).

Também os vereadores Ezequias Barros (Patriota) e Professora Josete (PT) elogiaram a conduta profissional do servidor. Para o vereador, a prefeitura deveria ampliar os tipos de tratamento oferecido, adotando o protocolo de Porto Feliz para quem assim desejasse, com o uso de cloroquina, ivermectina e azitromicina na fase inicial da doença. Já Josete, que incluiu no pedido de minuto de silêncio os 100 mil mortos pela Covid-19, cobrou a falta de liderança do governo federal no enfrentamento da pandemia.